Alopecia Areata

A alopecia areata (AA) é uma doença autoimune na qual o sistema imunológico gera uma resposta inflamatória contra os cabelos do próprio paciente. Sendo assim, o principal sinal da alopecia areata é a queda dos cabelos.

A alopecia areata em números

Alguns estudos sugerem que a prevalência de pacientes com alopecia areata na população seja em torno de 0,1% a 0,2%. O pico de incidência é entre a segunda e quarta décadas de vida e afeta homens e mulheres na mesma proporção. Outros parentes também estão afetados pela AA em 10-20% dos casos.

Porque os cabelos caem na alopecia areata?

Na AA, o sistema imunológico do paciente gera uma resposta inflamatória contra o bulbo folicular do paciente. O bulbo é justamente a parte do folículo capilar responsável por produzir o fio de cabelo. Durante esse ataque inflamatório, o bulbo será incapaz de produzir uma haste saudável. O cabelo passar a ficar mais fino, frágil e susceptível a quebra. Em casos mais intensos, o cabelo cai e o bulbo não consegue produzir um fio novo, enquanto a inflamação estiver presente.

A causa da alopecia areata é o stress?

Não. A alopecia areata é uma doença autoimune e com componente genético. No entanto, em muitos pacientes, períodos de maior stress podem servir como gatilho para o surgimento ou para piora da doença.

Importante ressaltar que a perda dos cabelos muitas vezes é uma fonte de stress para os pacientes, com importante impacto sobre a saúde mental.

Alopecia areata: quais são os tipos?

  • Placas: é o tipo mais comum. O cabelo cai apenas em algumas áreas, fazendo falhas sem cabelo. O couro cabeludo é mais frequentemente afetado, mas pode ocorrer em outros locais, como na região da barba e sobrancelha.

  • Ofiásica: é um subtipo, no qual a perda de cabelo ocorre apenas na região da nuca.

  • Total: Quando praticamente 100% do couro cabeludo é afeatado

  • Universal: Quando, além do couro cabeludo, todos os pelos do corpo são afetados

alopecia areata

A alopecia areata pode afetar outros órgãos do corpo?

O principal “alvo” da alopecia areata são os cabelos e pelos. Em alguns casos as unhas também podem ser afetadas. No entanto, a alopecia areata não afeta outros órgãos. É importante ressaltar que por ser uma doença autoimune, pode haver associação com outras doenças que também tem natureza autoimune (apesar de não ser tão frequente). No momento do diagnóstico, exames são solicitados para rastrear a presença dessas outras doenças.

Captura de Tela 2022-07-09 às 16.29.02.png

É possível recuperar os cabelos na alopecia areata?

Sim. A alopecia areata é considerada uma “alopecia não-cicatricial”. Isso quer dizer que a inflamação da doença não mata a raiz do cabelo e não gera uma cicatriz. Com o tratamento adequado é possível recuperar completamente os cabelos. Existem fatores de melhor e de pior prognóstico que irão influenciar a resposta. Em outras palavras, em alguns casos essa recuperação será mais fácil e em outros mais difícil.

areata - tratamento.png

Quais são os tratamentos para alopecia areata?

O tratamento será moldado para cada paciente. O principal fator que irá determinar a escolha da modalidade terapêutica é a extensão da doença (são poucas placas? Muitas placas? Afeta pelos do corpo?). Outro fator importante é a idade do paciente (criança? Adulto? Idoso?)

Em casos em que a perda de cabelos é limitada, pode-se optar apenas por tratamento de uso tópico e microinjeções na área afetada. Quando a perda é mais extensa, medicações orais podem ser necessárias. Converse com seu dermatologista.

Meu cabelo cresceu. No futuro, é possível que eu tenha alopecia areata de novo?

Atualmente, não é possível prever com precisão. Enquanto alguns pacientes têm um único episódio de alopecia areata, outros podem ter novos episódios ao longo da vida. Em cada novo episódio, o tratamento pode ser retomado para que os cabelos cresçam novamente.

Quer saber mais sobre alopecia areata? Clique aqui!

Assista abaixo a entrevista sobre alopecia areata com o Dr. Rodrigo Pirmez