Fatores prognósticos na alopecia fibrosante frontal


Novo estudo reavaliou 92 pacientes com alopecia fibrosante frontal (AFF) em busca de fatores que pudessem indicar de maneira precoce quais indivíduos tendem a apresentar doença mais agressiva e quais tem mais chance de responder ao tratamento.


Dentre os achados do estudo, os pesquisadores identificaram que pacientes que iniciam a doença mais jovens tendem a ter uma variante mais branda de AFF, com perda menor dos cabelos. O fato de ter ou não outros familiares afetados pela doença parece não influenciar no prognóstico dos pacientes, ou seja, parece não afetar a evolução da AFF.


Comparações entre diferentes tratamentos também foram realizadas e os dados sugerem superioridade discreta de alguns dos tratamentos avaliados.


O estudo em questão não abordou o prognóstico de acordo com a apresentação clínica do paciente. Em estudo anterior, pesquisadores da Espanha observaram que pacientes com o pseudo “sinal da franja” tendem a ter uma forma mais leve da doença.


Referência:

Prognosis, treatment, and disease outcomes in frontal fibrosing alopecia: A retrospective review of 92 cases


Legenda: A pintura retrata mulher na época da renascença italiana, quando era comum a depilação dos cabelos na linha de implantação por motivos estéticos, lembrando o quadro clínico apresentado por pacientes com alopecia fibrosante frontal. Leais mais sobre isso aqui.







Dr. Rodrigo Pirmez
CRM 5289677-2 | RQE 21413
Posts Recentes
Arquivo
Tags

Pirmez Dermatologia

Rua Visconde de Pirajá 330, sala 712, Rio de Janeiro, RJ    |    Tel 21 2018-2180    |    21 99284-4518