Posts em Destaque
Publicações recentes 

Nosso cabelo cai mais no outuno? Veja os dados de novo estudo

A queda aguda dos fios de cabelo, condição dermatológica conhecida como eflúvio telógeno, é frequentemente acompanhada de grande stress psicológico. Estudos científicos prévios já haviam sugerido a ocorrência de um padrão sazonal de queda dos cabelos. Ou seja, parece que a queda dos fios é maior durante épocas específicas do ano. Em novo estudo, pesquisadores da John Hopkins e Washington University exploraram a relação entre sazonalidade e queda de cabelo em nível populacional, usando informações do Google Trends. O volume de pesquisas online por assuntos relacionados a queda de cabelo foi avaliado em 15 países, ao longo de um período de 12 anos, de acordo com a estação do ano. Foi observado

Retinoides (isotretinoína/acitretina): resultados animadores no tratamento da alopecia fibrosante fr

A alopecia fibrosante frontal (AFF) é uma alopecia cicatricial linfocítica caracterizada principalmente pelo recuo da linha de implantação capilar e perda das sobrancelhas. Por isso, a principal queixa dos pacientes costuma ser o “aumento da testa”. Diversas medicações têm sido propostas para o tratamento da AFF, com resultados variáveis entre os estudos. Em novo estudo publicado esse mês na revista internacional Journal of Drugs in Dermatology, dermatologistas poloneses avaliaram o uso de medicações do grupo dos retinoides no tratamento da AFF. Os resultados foram animadores. No estudo, de natureza retrospectiva, 54 pacientes foram divididos em 3 grupos: Dois deles tratados com retinoides o

Fique atento: Coceira e descamação no couro cabeludo podem ser mais que uma simples “caspa”

A dermatomiosite é uma doença autoimune, incluída no grupo das miopatias inflamatórias. Os sintomas compreendem alterações cutâneas, musculares e mesmo sistêmicas e podem se manifestar em adultos e crianças. Em estudo recente, dermatologistas de Miami e Cidade do México investigaram o acometimento do couro cabeludo pela dermatomiosite. Dos pacientes analisados, 77.4% apresentavam alterações clínicas no couro cabeludo. O sinal clínico mais comum foi o eritema (vermelhidão), presente em todos os casos. Outros sinais clínicos detectados foram descamação (83,3%), alopecia (87,5%) e prurido (coceira – 70,8%). A tricoscopia apresentou sinais característicos da doença, como a presença de vasos tort

Dr. Rodrigo Pirmez
CRM 5289677-2 | RQE 21413
Posts Recentes
Arquivo
Tags

Pirmez Dermatologia

Rua Visconde de Pirajá 330, sala 712, Rio de Janeiro, RJ    |    Tel 21 2018-2180    |    21 99284-4518